A HISTÓRIA REAL DO ACIDENTE NO VÔO 402 DA TAM


24/07/2007


CLIQUE SOBRE AS IMAGENS E VEJA AS INFORMAÇÕES SOBRE ESSAS TRAGÉDIAS:

        

DESASTRES AÉREOS        TAM 402 - FOKKER 100 

  

 GOL 1907 - BOEING       TAM 3054 - AIRBUS       

Escrito por Jorge Tadeu às 18h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

03/03/2007


NOVO SITE COM MUITAS INFORMAÇÕES SOBRE ACIDENTES E INCIDENTES AÉREOS NO BRASIL E NO MUNDO.

 

DESASTRES AÉREOS - CLIQUE http://www.desastresaereos.net/

 

 VISITE !

 

OS ACIDENTES, FOTOS, VÍDEOS, CAIXA-PRETA, ARTIGOS, AEROPORTOS, CIAS AÉREAS E MUITO MAIS.

Escrito por Jorge Tadeu às 04h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/10/2006


AS MATÉRIAS, OPINIÕES E IMAGENS ESTÃO MELHOR ORGANIZADAS NO SITE

 

http://jorgetadeu7.sites.uol.com.br/

 

CLIQUE NO LINK ACIMA

Escrito por Jorge Tadeu às 01h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/10/2006


A ÚLTIMA PIADA DA TAM E DA UNIBANCO SEGUROS

Matéria publicada no jornal "O Estado de S.Paulo" em 06/10/06

 

A TAM e a Unibanco Seguros alegam que me indenizaram um mês após o acidente.

Baseado em que essas empresas fazem essa afirmação? Porque então elas foram condenadas a me indenizar? Não há uma contradição aí? Até quando a mentira vai prevalecer? O valor pago à época tinha por objetivo cobrir despesas com a reconstrução dos imóveis. Não cobriu. Colocamos do bolso. E os danos morais, assistência psicológica, despesas médicas, desvalorização dos imóveis, lucros cessantes e outras questões mais? A Justiça nos deu ganho de causa em todas as questões de direito, inclusive na diferença entre o valor pago ao meu pai na época e o valor real gasto na reconstrução, mais a compra de móveis, roupas e tudo que é necessário num caso de perda total.

 

Lembrando o que foi dito pelo presidente da TAM e da Unibanco Seguros:

 

O comandante Rolim Adolfo Amaro, fundador e presidente da TAM, chegou nesta sexta-feira (1) a São Paulo às 6h30, depois de pilotar quase a noite inteira seu jato Cessna Citation, vindo do Caribe. Às 15h, ele concedeu entrevista coletiva no aeroporto de Congonhas e afirmou que vai indenizar todas as vítimas que estavam a bordo do Fokker 100 sem que seja necessário qualquer iniciativa legal por parte das famílias. As demais vítimas, que foram mortas fora do avião, deverão entrar em contato com a TAM para que o caso seja encaminhado à Unibanco Seguros. A empresa está disposta a fazer acordo com as pessoas que foram prejudicadas e não estavam na aeronave.

"Faremos tudo para minimizar a dor das famílias", afirmou o presidente da TAM. O dinheiro a ser pago aos beneficiários das vítimas não deverá sair dos cofres da companhia. Isso porque, segundo a diretoria da empresa, a apólice de seguro feita pela TAM cobriria todas essas despesas.

O seguro da companhia cobre a aeronave, as vidas dos passageiros, tripulantes e terceiros - ele é da ordem de 429 milhões de dólares. Destes, 29 milhões de dólares são contra danos na aeronave e o restante contra os danos materiais e pessoais de terceiros. "O valor é algo próximo a isso e será mais que suficiente para cobrir quaisquer prejuízos com o acidente", disse José Rudge, presidente da Unibanco Seguros. 

 

Não vale mais o que disseram? Ou disseram apenas para a imprensa? Marketing? Preservação da imagem das empresas? Queremos que se cumpra a palavra empenhada e a decisão da justiça.  

Escrito por Jorge Tadeu às 11h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

05/10/2006


TAM e UNIBANCO SEGUROS - VOCÊ NÃO PODE CONFIAR

ATENÇÃO !

ACABO DE RECEBER DE MEUS ADVOGADOS A SEGUINTE INFORMAÇÃO:

A TAM E A UNIBANCO SEGUROS RECORRERAM DA DECISÃO DE PAGAR MINHA INDENIZAÇÃO A BRASILIA.

ENTRARAM COM UM "AGRAVO DE INSTRUMENTO" NO STJ E NO STF.

PARA QUEM TEM DISPONÍVEL - DESDE O ACIDENTE - 400 MILHÕES DE DÓLARES DE SEGURO PARA A INDENIZAÇÃO ÀS VÍTIMAS DO VÔO 402, ESSA DECISÃO É ABSURDA, DESUMANA, INESCRUPULOSA, FORA DE PROPÓSITO.

O ÚNICO INTUÍTO DISSO É GANHAR TEMPO, POIS TEREMOS DE DOIS A QUATRO ANOS DE ESPERA PELA FRENTE.

ESSAS EMPRESAS POSAM PARA A MÍDIA COMO EXEMPLOS DE BOM-MOCISMO:

 

Preocupada com a manutenção dos princípios que sempre nortearam o desenvolvimento da empresa, a TAM mantém uma política de responsabilidade social, baseada na colaboração e realização de parcerias contínuas com algumas das principais instituições ligadas ao Terceiro Setor.

 

EU - PARA A TAM - ESTOU NO PROJETO SOCIAL "SOB O JULGO DA TAM"

 

 

 

 

Parceira da TAM na empreitada de postergar o pagamento de uma indenização devida, parece não estar muito preocupada com a imagem de sua corretora cujo slogan é "A marca da proteção e da tranqüilidade".

 

Proteção e tranquilidade para os acionistas da empresa.

Escrito por Jorge Tadeu às 13h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

04/10/2006


Relembrando a Caixa-Preta

Caixa-Preta

Veja no YouTube imagem do simulador da TAM e o áudio da caixa-preta

Clique AQUI

Ouça no Rádio Jovem Pan AM o áudio da caixa-preta:

Clique AQUI

Escrito por Jorge Tadeu às 21h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Mensagem

Continuo adicionando matérias e comentários sobre o acidente com o vôo 402 e outros fatos relacionados a TAM - até chegar ao ano de 2006. Na lateral do Blog há a divisão por temas: "o acidente", "indenizações" "fotos do acidente", "eu e a tragédia" e "outras matérias".

Meu email: jorgetadeu@uol.com.br

 

Escrito por Jorge Tadeu às 21h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

03/10/2006


Medo do Fokker

18/09/2002

Medo do Fokker

Quatro acidentes em menos de 15 dias provocam turbulências na imagem da TAM

Hélio Contreiras

 
  PANE SECA Pouso forçado em fazenda em Birigui (SP)

Há 30 anos o avião japonês Samurai era retirado da aviação brasileira, marcado por vários acidentes. Parece que agora está chegando a vez do Fokker 100. Foram quatro acidentes em menos de 15 dias. O último, na quarta-feira 11, em um vôo de Buenos Aires para São Paulo, o piloto foi obrigado a fazer um pouso forçado em Pelotas, no Rio Grande do Sul, após a aeronave apresentar uma vibração na turbina. Antes, e em um único dia, na sexta-feira 30, dois Fokkers deram um susto em seus passageiros. O primeiro, às 10h45, desceu em uma fazenda em Birigui, interior de São Paulo, com falta de combustível. Pouco antes do meio-dia da mesma sexta-feira, outro Fokker fez uma aterrissagem de barriga no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, por problemas no trem de pouso. Nada que se aproximasse do inesquecível acidente de 31 de outubro de 1996, em Congonhas, quando morreram 99 pessoas. Mas, ainda assim, qualquer que seja o susto provocado por um avião, as consequências sempre são dramáticas para a companhia.

“O avião holandês está estigmatizado”, disse a ISTOÉ o ex-diretor do Departamento de Aviação Civil (DAC) brigadeiro Mauro Gandra. O coronel Ronaldo Jenkins Lemos, experiente investigador de acidentes aéreos, diz que o Fokker, tecnicamente, não oferece riscos, mas faz a ressalva de que “tem faltado sorte ao avião holandês”. Os passageiros não acreditam. Agentes de viagem dizem que a maioria dos passageiros resiste à opção de viajar no Fokker 100. “Eles preferem outro vôo ou outra companhia”, disse Francisco Leme, que tem mais de 30 anos no mercado de passagens aéreas.

A TAM, dona de uma frota de 47 Fokker 100, informou que não irá se pronunciar sobre os últimos acidentes antes dos resultados da investigação que está sendo conduzida pelo DAC.

Escrito por Jorge Tadeu às 23h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

TAM luta contra onda de "Fokkerfobia"

TAM luta contra onda de "Fokkerfobia"

A TAM luta hoje contra uma reação dos passageiros que ameaça virar um novo jargão do setor aéreo: a "Fokkerfobia", ou o medo de viajar no Fokker 100. Em defesa do avião, a companhia argumenta que o maior problema do modelo, hoje, não é a exposição aos riscos, mas à mídia.

Peça fundamental para o crescimento da empresa, o Fokker 100 enfrenta a pior crise de imagem desde a queda do vôo 402 em São Paulo, responsável pela morte de 99 pessoas em 1996. O fato é que o "mal" se propaga rapidamente entre os clientes da companhia, incluindo passageiros, empresas e operadoras de turismo.

Os temores pareciam ainda maiores na última sexta-feira, dia 13. "Se o problema do avião for azar, o risco hoje é maior ainda", dizia a médica Mônica Santana, que aguardava, tensa, seu vôo para Goiânia, de Fokker 100. "Se pudesse escolher, iria em outro vôo, mas ganhei a passagem." Jean Vechi apenas acompanhava a namorada, Mônica, no aeroporto, mas garantia que, se estivesse no lugar dela, não embarcaria.

"Nunca mais voei de Fokker 100, desde o acidente de 96." O analista de sistemas Eudócio Marinho se dizia "aliviado" depois que o departamento de segurança de sua empresa, a fabricante de papel e celulose Suzano Bahia Sul, decidiu não colocar mais seus funcionários a bordo dos Fokkers 100. "Continuamos voando com a TAM, mas a agência de viagens que nos atende está proibida de adquirir passagens para aquele avião", contou Marinho, que viaja semanalmente a trabalho. No meio de tanta preocupação, a aposentada Carmem Karan Gerwy, de Porto Alegre, contrariava a regra. "Não tenho o menor preocupação em viajar no Fokker 100. Acredito que problemas podem acontecer em qualquer companhia aérea", garantia. "Continuo confiando na TAM."

Segurança - A resposta da TAM à situação tem sido categórica: "Não há nenhum problema com a manutenção dos aviões da TAM", garante o chefe de Segurança de Vôo da empresa, Marco Aurélio Rocha. O comandante, que ocupa uma cadeira no Comitê de Consultores de Segurança da Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA), explica que um avião do porte do Fokker 100 percorre mais trechos do que os usados em rotas mais longas, o que aumenta sensivelmente a freqüência de acidentes ao longo da vida útil do avião. "Temos 47 Fokkers fazendo de 10 a 12 pousos por dia cada um", conta. Rocha acredita que a percepção dos problemas nos vôos do modelo está sendo "maximizada" pelos veículos de imprensa. "O público ficaria espantado se soubesse a quantidade de acidentes aéreos que ocorre em dois meses, mas, como a maioria deles não chega a colocar em risco os passageiros, passa despercebida. Não é isso o que acontece em relação ao Fokker 100", diz.

Para o professor de Ética Jornalística Carlos Alberto Di Franco, a imprensa deve adotar uma posição prudente ao tratar da imagem da empresa, mas não há dúvida de que os acidentes são notícias de interesse público. "Cabe à companhia um comportamento de grande transparência, aproveitando o espaço na mídia para explicar à população se há de fato algum problema", afirma Di Franco. "Fatos que têm sido divulgados, como o de que a fabricante do avião faliu, acabam despertando preocupação nos passageiros." A empresa informa que, após o fechamento da Fokker, o governo do país onde o avião era montado, a Holanda, e o grupo industrial Stork mantiveram a fabricação das peças dos aviões. Neste ano, segundo a empresa, estão destinados US$ 210 milhões para a manutenção de sua frota, ante os US$ 150 milhões gastos no ano passado.

Agência Estado, 15 de setembro de 2002

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 23h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Fokker da TAM faz pouso não programado no RS

Edição 225 - 04/09/2002

Fokker da TAM faz pouso não programado no RS

CBN e Higino Barros, do jornal O Globo

 

Um avião Fokker 100 da TAM que vinha de Buenos Aires, na Argentina, para São Paulo, fez um pouso inesperado e não programado no aeroporto de Pelotas, no interior do Rio Grande do Sul, como medida de precaução nesta manhã.

O piloto teria ficado preocupado com uma vibração diferente numa das turbinas do vôo 8006 e resolveu descer. O avião estava com 63 pessoas, entre tripulantes e passageiros. Um outro avião da TAM foi enviado para Pelotas para os apanhar os passageiros e prosseguir o vôo.

De acordo com nota divulgada há pouco pela TAM, o avião seguia para o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos e quando estava sobrevoando a região sul do Brasil registrou uma indicação de vibração nos motores devido a uma formação de gelo. O avião poderia seguir viagem normalmente até Guarulhos, segundo a assessoria de comunicação da TAM, mas o comandante, em atitude prudente, optou por fazer um pouso normal na cidade de Pelotas, interior do Rio Grande do Sul para verificar o que aconteceu. Nenhum passageiro ficou ferido.

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 23h06
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Outra vez, uma vez mais, desta vez foram dois...

Sábado, Agosto 31, 2002

Outra vez, uma vez mais, desta vez foram dois...

Desta vez o negócio foi mais sério e caíram dois Fokker 100 da TAM de uma tacada só em um mesmo dia. Um ficou, PASMEM, sem combustível e outro teve (mais uma vez) problema no trêm de pouso.

O pior de tudo é que isso aconteceu exatamente no dia que minha esposa viajou de TAM para o Nordeste. Apesar que sempre ao voar pela TAM me certifico que a aeronave não seja um Fokker 100 e neste caso era um Airbus novinho.

Esse maldito "avião do cão" não matou ninguém desta vez a não ser de susto. O do problema com o trêm de pouso fez um pouso de emergência em Viracopos (Campinas) e se arrastou por 400 metros na pista com espuma e tudo. O caso do combustível foi mais grave e ele literalmente caiu sem combustível em uma fazenda no interior de São Paulo. Neste caso específico a aeronave ficou bastante danificada.

Pois é DAC, quando é que vocês vão tomar uma providência e proibir a decolagem desse maldito Fokker 100? E vocês da TAM, quando é que vão se livrar dessas bombas voadoras?

Marcos Alsina

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 21h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Acidente fecha aeroporto de Viracopos e vôos são cancelados

São Paulo, sexta-feira, 30 de agosto de 2002

Acidente fecha aeroporto de Viracopos e vôos são cancelados

da Folha Online

O pouso forçado feito por um Fokker 100 da TAM às 12h05 de hoje interditou o aeroporto de Viracopos, em Campinas (95 km de SP). Até o momento, cinco vôos foram cancelados. Não há previsão de quanto a aeronave, que estava com 42 passageiros, será retirada da pista.

O Fokker 100, que fazia o vôo 3499, saiu de Salvador às 8h40 com previsão de pouso às 11h no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Após apresentar problemas, a aeronave fez um pouso forçado, de barriga, em Viracopos. Não há, até o momento, informações de feridos.

Uma equipe do DAC (Departamento de Aviação Civil) segue para o aeroporto para verificar as causas do problema. Uma equipe de manutenção da TAM também é esperada para retirar o avião da pista.

O próximo vôo previsto é o 5367 da Rio-Sul, que sai de Curitiba em direção ao Rio, com escala em Campinas, previsto para pousar às 14h15 em Viracopos.

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 21h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

2 aviões da TAM fazem pouso forçado

30 de Agosto de 2002
 
Acidente

2 aviões da TAM fazem pouso forçado

Birigui (AE)

Dois aviões da TAM fizeram pousos de emergência ontem no interior do Estado de São Paulo. O primeiro Fokker 100 sofreu pane por falta de combustível e aterrissou às 11 horas em uma fazenda em Birigui, a 535 km de São Paulo. Levava cinco tripulantes e 24 passageiros, dos quais quatro ficaram feridos.

Com problemas no trem de pouso, o outro aparelho desceu em situação semelhante, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, a 90 km de São Paulo, às 12h05. O avião, que fazia o vôo 3499, havia saído de Salvador e seu destino era o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Levava 42 passageiros e cinco tripulantes. Não houve feridos.

O Fokker que fazia o vôo 3804 - e desceu no pasto da fazenda - havia decolado do Aeroporto Internacional de São Paulo e seguiria para Campo Grande (MS). Com pouco mais de uma hora de vôo, no entanto, o avião entrou em pane e o piloto Mateus da Silva Madeira, de 29 anos, foi obrigado a iniciar o pouso de emergência, a 20 km do aeroporto de Araçatuba.

Na descida, o aparelho atropelou uma vaca e se arrastou por 300 metros. Com o impacto, teve o trem de pouso arrancado. Também houve danos nas turbinas e na parte traseira da fuselagem.

FERIDOS - Quatro pessoas ficaram feridas sem gravidade. José Jorge Rezende, de 47 anos, Mário Valente, de 61, Susan Lannes Andrade, de 48, e Maria de Fátima Cardoso, de 49, foram levados para a Santa Casa de Birigüi com escoriações. Eles receberam alta logo depois.

"Pensei que não fosse sair viva, mas graças a Deus todos nós escapamos", disse a assistente social Gisele Azambuja, de São Paulo. Ela percebeu que algo estava errado ao olhar pela janela e notar que o avião descia em uma área rural. Outros passageiros tiveram crise nervosa e foram atendidos por dois médicos e um psicólogo da TAM. A empresa levou as pessoas de ônibus até São José do Rio Preto, de onde seguiriam para seus destinos.

Duas testemunhas disseram que viram o Fokker voar baixo. "Ele vinha da direção de Araçatuba e manobrou como se quisesse voltar", contou Luiz Henrique Folhas de Souza. José Sérgio Sanches Ribeiro, que trabalha no gasoduto Brasil-Bolívia, disse ter pressentido a queda. "Ele passou baixo. Vi fumaça e ouvi os motores pararem."

O local do acidente foi isolado para que técnicos da Aeronáutica fizessem perícia no avião. Não havia previsão de quando o aparelho seria removido da fazenda. O caso foi registrado no no 2º DP de Birigui. Segundo o delegado Valdemir Aparecido Lopes, o piloto teria falado sobre a falta de combustível. "Ele me disse que houve um vazamento não detectado pelos computadores de bordo."

  

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 21h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Dois aviões da TAM fazem pouso forçado em São Paulo

São Paulo, sexta-feira, 30 de agosto de 2002

Dois aviões da TAM fazem pouso forçado em São Paulo

LÍVIA MARRA
da Folha Online

Dois aviões da TAM fizeram pouso forçado hoje em São Paulo. Um deles ocorreu em uma área rural de Birigui (518 km a noroeste de São Paulo). O outro ocorreu no aeroporto de Viracopos, em Campinas (95 km a noroeste de São Paulo), segundo informações do aeroporto.

Maurício Longuini
Barbeiro

Fokker 100 que fez pouso forçado em Birigui

A assessoria de imprensa da Infraero não tem detalhes sobre o pouso, mas afirma que ninguém se feriu. A aeronave pousou de barriga, após problema no trem de pouso.

Em Birigui, quatro pessoas sofreram escoriações leves, conforme Vivaldo Donizete Costa, atendente do pronto-socorro da cidade. A TAM nega a existência de feridos.

O pouso forçado ocorreu por volta das 11h em um pasto do bairro Taquari.

A aeronave -um Fokker 100- havia saído de Guarulhos, em São Paulo, com destino a Campo Grande (MS), com 24 passageiros a bordo. A capacidade do Fokker é para 108 passageiros.

Ainda não há informações sobre os motivos da pane. Há suspeitas de falta de combustível.

Categoria: OUTRAS MATÉRIAS
Escrito por Jorge Tadeu às 21h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

.

Escrito por Jorge Tadeu às 21h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, JABAQUARA, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, Spanish, Livros, Informática e Internet, Cinema e Vídeo
MSN - jorgetadeu7@hotmail.com

Histórico